2º Intercâmbio Rota de Aprendizagem Rumos será realizado pelos TA´s Bahia e Piauí

Atualizado: 20 de mar.



Com o objetivo de melhorar a compreensão dos jovens líderes que atuam no campo, fortalecer suas capacidades organizacionais e desenvolver redes de apoio mais eficientes e sustentáveis que ampliem suas oportunidades de inclusão social e econômica nos territórios rurais, os jovens do semiárido baiano e piauiense estão organizando o Intercâmbio Rota Rumos. O evento que terá inicio neste domingo (20) e se estenderá até a sexta (26), com programações nas cidades de Uauá e Juazeiro (Bahia), Picos, Paulistana e Betânia do Piauí (Piauí).


A Rota de Aprendizagem Rumos foi planejada pelos Territórios de Aprendizagem da Bahia (Arandelas) e do Piauí (TAPI), na oportunidade, eles receberão 12 jovens da América Central e representantes do PROCASUR com o objetivo de compartilhar as estratégias de desenvolvimento territorial por eles desenvolvidas, oportunizando a discussão e reflexão acerca de temáticas relacionadas a diferentes arranjos produtivos, economia solidária, comércio justo, associativismo, cooperativismo, redes e territórios de aprendizagem. Esse evento conta com o apoio das organizações PROCASUR, CAC, SICA, Viva Semiárido, FIDA, TA Bahia e Piauí, Governos da Bahia e Piauí.


“Essa é uma oportunidade rica para trocarmos conhecimento. Essa troca representa uma aproximação de realidades de vida dos jovens que trabalham no campo. A aproximação dessas realidades é muito importante, uma vez que através de momentos como esse se constrói uma ponte de conhecimentos e boas práticas, além de ser uma oportunidade de destaque, dos territórios TAPI e ARANDELAS de estarem recebendo um grupo de jovens de outros países”, destacou a gerente do TAPI, Marta Macedo.


Ainda de acordo com Marta, em menos de um mês os gerentes foram procurados pela representante do PROCASUR no Brasil e foi apresentado a proposta e os objetivos do evento. “De início, o tempo de organização para preparar proposta de atividades e orçamento representou um desafio enorme porque os gerentes contavam com outras demandas, mas o grupo conseguiu contornar esse fator de maneira eficiente. Estamos preparados para receber esse mais novo desafio que é conhecer os participantes e a cultura dos mesmos, agregando novos conhecimentos a toda equipe brasileira, em especial aos territórios TAPI e Arandelas”, enfatizou a gerente.


Na programação do evento estão previstas visitas a Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), nas propriedades dos agricultores familiares (talentos dos TA´s), Casa Apis - Central de Cooperativas Apícolas do Semiárido Brasileiro, Instituto Federal do Piauí (IFPI), COOVITA – Cooperativa de produtores e Produtoras da Região da Chapada Vale do Rio Itaim. ASCOBETÂNIA – Associação dos Produtores de Ovinos e Caprinos do Município de Betânia do Piauí, AVESERTÃO – Associação de Mulheres Criadoras de Galinha Caipira de Betânia do Piauí, Associação das Mulheres Fortes da Serra do Inácio (Betânia do Piauí).


Esse será um momento muito importante para ampliar a troca de conhecimentos e experiências que poderão ser replicadas em diferentes países da América Central. “Estamos ansiosos para apresentar um pouco das nossas organizações, dos modelos de gestões que temos das nossas redes de comercialização de cooperativas que temos na Bahia e no Piauí, então, nesse processo estamos bastante otimistas que será um grande evento”, explicou Denise Cardoso, gerente do TA Bahia Arandelas.


Em 2021, foi realizado o Intercâmbio de Boas Práticas entre o Piauí e a Bahia. “Esse intercâmbio possibilitou que nos compreendêssemos como organizar um evento como esse, através dos territórios de aprendizagem e com isso a gente foi ganhando um pouco de experiência. Além do processo de aprendizagem para as nossas comunidades, nossos talentos rurais a nossa experiência também cresce. Recebendo principalmente jovens de outros países, então nesse formato a gente compreende que tem um aprendizado muito forte e muito grande e nesse sentido fortalece não só a estratégia dos territórios de aprendizagem aqui no Brasil, como também leva nossa experiência para diversos outros espaços”, finalizou Denise.





62 visualizações0 comentário